Close

Fortaleza – Capital do futuro: mas é preciso qualificação

Fortaleza já está “fincada” no cenário turístico nacional. A cidade que completa 284 anos hoje, pode se orgulhar de possuir um dos litorais mais belos do País, onde os visitantes são recepcionados por um povo acolhedor e bem humorado. Entretanto, com a chegada da Copa do Mundo de 2014, muitas ações serão realizadas para que a Capital cearense se torne destaque entre as sedes do Mundial. Um dos segmentos mais importantes para esta tarefa é o setor turístico. O presidente da Abav (Associação Brasileira dos Agentes de Viagem do Ceará) e do Fortaleza Convention & Visitors Bureau, Colombo Cialdini, salientou que, apesar das belezas naturais do Estado e da boa estrutura do trade de Fortaleza, a qualificação e profissionalização dos trabalhadores do setor são fundamentais para tornar a Cidade um dos principais destinos turísticos do Brasil e do Mundo.

Para ele, o potencial da Capital cearense é enorme. Cialdini não tem dúvida de que, em 10 ou 15 anos, Fortaleza se tornará a cidade do “futuro”. Porém, ele ressaltou que é preciso existir investimentos para que os profissionais do setor tornem-se, realmente, “profissionais”. “É extremamente necessário que eles se preparem. Os garçons, taxistas e funcionários de hotéis precisam qualificar-se para atender os visitantes de forma eficiente. O aprendizado de duas línguas [inglês e espanhol] é fundamental. A iniciativa privada também tem que se qualificar. Os restaurantes devem oferecer cardápios que contemplem idiomas estrangeiros”, salientou.

De acordo com Cialdini, o investimento no turismo é importante, já que 54 setores da economia são impactados pelo segmento. Contudo, ele ressaltou que os gestores públicos e privados devem qualificar os trabalhadores do segmento para que o potencial turístico da Capital cearense seja aproveitado em sua totalidade. O presidente da Abav afirmou ainda que o Governo do Estado está investindo na capacitação de funcionários para que ocorra a recolocação da Cidade no cenário mundial até a Copa do Mundo de 2014.

TURISMO DE NEGÓCIOS É O CAMINHO

O desenvolvimento de ferramentas estruturais para receber os visitantes também é observado por Cialdini. Por outro lado, o presidente da Abav destacou que Fortaleza precisa investir mais no turismo de negócios, já que o setor injeta três vezes mais dinheiro na economia local que os turistas comuns. Segundo ele, a manutenção do Beach Park, a criação do Acquário do Ceará e, principalmente, a construção do Centro de Eventos são alguns dos principais instrumentos turísticos que fomentarão ainda mais o fluxo de visitantes.

“Estamos falando da Copa do Mundo, mas sabemos que existem várias ações que deverão ser feitas para reposicionar Fortaleza para o futuro. Uma das principais ações é o Centro de Eventos, que será o segundo maior do País, perdendo em área apenas para o do Rio de Janeiro. Será também um dos mais modernos do Brasil. Só para se ter uma ideia, o Centro terá mais área construída que o Anhembi de São Paulo”, vibrou.

Contudo, Colombo explicou que todas as mudanças devem ser realizadas de forma conjunta, inclusive, com a participação do povo cearense. O presidente do Fortaleza Convention Bureau voltou a ser enfático ao dizer que o principal desafio da Cidade é a qualificação dos profissionais do turismo, afirmando que “o velho jeitinho cearense” não vai mais resolver as deficiências da Cidade.

Segundo Cialdini, Fortaleza possui uma razoável malha aérea, porém ainda muito acanhada para suprir, em um futuro próximo, a demanda exigida. “Estamos na esquina do Brasil. Nosso desejo é aumentar o fluxo de feiras e congressos internacionais. Só conseguiremos isso com um grande número de linhas aéreas internacionais. Mas já estamos trabalhando nisso, conseguindo ligação de destinos importantes através da Tap, Tacv e a Delta Airlines, que foi uma grande conquista do Governo do Estado”.

VOCAÇÃO HOTELEIRA

Colombo ressaltou ainda que o Governo Federal, através do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), recentemente assinou um convênio com a iniciativa privada para a reforma e ampliação dos equipamentos de hotelaria. Sem falar em cifras, ele relatou que a linha de crédito terá 15 e 20 anos de carência para que os empresários possam se estruturar para receber, de forma mais qualificada, os turistas nacionais e internacionais.

Para ele, essa “nova estruturação” é fundamental não só para a Copa do Mundo, mas também para o legado turístico da Cidade. Cialdini ressaltou que a Fifa é a maior empresa de entretenimento futebolístico do mundo, por isso, o seu caderno de encargos é abrangente e exige que as cidades sedes se estruturem para receber o Mundial.

“A Fifa exige muitas intervenções. Nós podemos imaginar que o evento vai mudar inclusive a nossa cultura. O fortalezense nunca andou de metro. E teremos um aqui. Teremos também aeroportos regionais, sem falar nas duplicações das vias, sem falar da beleza natural do Ceará. Nosso Estado foi contemplado por Deus. Ele nos deu excelentes praias com temperatura média de 26 ºC, que para o europeu é um privilégio enorme”, salientou.

Fonte: O Estado.

Deseja receber mais informações, apresentação, vídeo e tabelas?  Por favor, preencha o formulário abaixo e receba o material completo em seu email ou WhatsApp.


  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório)
  3. (obrigatório)
  4. (obrigatório)
  5. Prefere ser contatado por:
 

error: Conteúdo protegido!

CENTRAL DE VENDAS: (85) 98756-5142 (Oi e WhatsApp) | (85) 99610-0678 (TIM)

x